Folclore brasileiro Folclore brasileiro

brincadeiras - danças - lendas - festas - personagens


Principal Folclore brasileiro Lendas folclóricas Personagens Festas folclóricas Brincadeiras Vídeos

Personagens folclóricos

Algumas lendas, mitos e contos folclóricos

Boitatá

O Boitatá, também conhecido como "fogo que corre", é representada por uma cobra de fogo, e diz a lenda que ela protege as matas e os animais e tem a capacidade de perseguir e matar aqueles que desrespeitam a natureza. Muito provavelmente esse mito seja de origem indígena, e ele foi citado pela primeira vez em 1560, num texto do padre jesuíta José de Anchieta.

Boto

O Boto é uma lenda muito popular na região amazônica, onde tudo se originou. Segundo a lenda, em noites de festa junina o boto sai da água e se transforma num lindo jovem vestido com roupa social branca. Ele encanta mulheres em bailes e festas. Após a conquista, leva as jovens para a beira de um rio e as engravida, e de madrugada ele mergulha nas águas do rio para transformar-se em um boto novamente.

Curupira

O curupira é um protetor das matas e dos animais silvestres, e suas vítimas são os caçadores, lenhadores e pessoas que destroem as matas. Ele é representado por um anão de cabelos vermelhos e com os pés virados para trás. O curupira consegue enganar as pessoas que tentam perseguí-los, dando a falsa impressão de que ele foi para o lado oposto, devido a seus pés invertidos. Muitas das estórias sobre o curupira mostram que ele adora pregar peças em quem entra nas florestas através de ilusões.

Lobisomem

Este mito aparece em várias regiões do mundo, chegando ao Brasil no século XVI através dos portugueses que colonizaram o Brasil. A lenda conta que um homem se transforma e um ser formado pela mistura de homem com lobo em noites de lua cheia e ataca todos aqueles que encontram pela frente. Esse homem ficou com esse poder após ser atacado por um lobo mas não morrer, e sim desenvolver essa capacidade de se transformar.

Mãe-D'água

A mãe-d'água é como a sereia conhecida mundialmente, porem seu habitad são as águas doce dos rios da região amazônica. Com seu canto atraente, consegue encantar os homens e levá-los para o fundo das águas, e esses homens nunca mais reaparecem. A cultura indígena conta que a mãe-d´agua era uma índia muito valente que matou os próprios irmãos para se defender deles que tinha inveja dela. Após o acontecimento ela teve que fugir, mas foi capturada e jogada na água no encontro dos rios Negro e Solimões. Os peixes a salvaram e após voltar a superfície se transformaram e uma princesa metade peixe, metade mulher.

Corpo-seco

Corpo-seco e uma assombração que fica assustando as pessoas nas estradas querendo sugar o sangue delas. A origem é de um homem que em vida era muito malvado e só fazia coisas ruins, chegando a prejudicar e maltratar a própria mãe. Após sua morte, foi rejeitado pela terra e teve que sair do tumulo e viver como uma alma penada.

Pisadeira

A pisadeira é um mito do folclore brasileiro representado por uma velha de aparência assustadora que vive nos telhados quando as pessoas vão dormir de estômago muito cheio, para que ela possa pisar em sua barriga causando falta de ar.

Mula-sem-cabeça

A Mula-sem-cabeça é uma lenda muito conhecida do folclore brasileiro, tendo suas origens na zona rural. Conta a lenda que se trata de uma mula que não tem cabeça e solta fogo pelo pescoço. Uma das histórias conta que a o mito surgiu quando uma mulher teve um romance com um padre e como castigo transformou-se em um animal quadrúpede que galopa e salta sem parar, enquanto solta fogo pelo pescoço. Há também historias diferentes para o surgimento da mula-sem-cabeça

Mãe-de-ouro

Dependendo da região é possível que a lenda conte que Mãe-de-ouro é uma mulher linda, vestida de branco e em outros contos ela é uma bola de fogo que se transforma em uma linda mulher, mas seja qual for a estória, a mãe-de-ouro é uma espécie de protetora de minas de ouro e sobrevoa essas jazidas.

Saci-Pererê

O saci-pererê é um menino negro que tem apenas uma perna que vive usando um gorro vermelho e sempre está com cachimbo. Esse ser não tem o objetivo de fazer mal para as pessoas , mas vive aprontando travessuras e se diverte muito com isso. Adora espantar cavalos e bois , esconder objetos domésticos, queimar comida e acordar pessoas com gargalhadas.

Comadre Florzinha

Comadre Florzinha ou Fulozinha é representada por uma criança que se perdeu na mata e acabou falecendo, então seu espírito passou a proteger a natureza. Vaidosa e maliciosa, ela é uma morena de cabelos compridos e enfeitados com flores coloridas. Ela adora receber presentes como mingau, confeitos e fumo. Esse mito do folclore nordestino vive aplicando sustos e travessuras nos caçadores e pessoas que tentam desmatar a floresta. Ela protege a caça contra os caçadores, desorientando-os com seus assobios e fazendo com que eles fiquem perdidos na mata.

Cobra Grande

A cobra grande ou Boiúna como também é connhecida, faz parte do folclore da região amazônica, principalmente no estado do Pará. Segundo a lenda, a cobra grande deixou de viver na floresta e passou a habilitar o fundo dos rios onde ataca embarcações.

Capelobo

Capelobo é um ser que pode estar totalmente em forma de um animal, ou em uma forma meio homem e outra metade animal, sendo que esse nome é uma junção de um nome de significado indígena(cape) + lobo. Cape significa, osso quebrado, torto ou aleijado. Essa é uma lenda muito popular no estado do Maranhão e no Pará.